quarta-feira, 13 de maio de 2009

A PAREDE VERMELHA NA LITERATURA MUNDIAL

KAFKA: K. era pintor e foi chamado pra pintar uma parede de vermelho. Mas não havia tinta vermelha e o seu patrão disse que iria buscar, e que K. só devia pintar com a tinta que o patrão trouxesse. Então K. se sentou e esperou o patrão trazer a tinta vermelha para ele pintar a parede. Mas o tempo passava e o patrão não vinha nunca. K. então esperou durante muito tempo e nada do patrão aparecer com a tinta vermelha. Passaram-se vinte anos e K. esperando pela tinta. Até que um dia ele acorda e percebe que virou a parede vermelha. E diante disso, ele pensa “droga, agora eu não vou poder pintar mais!”.

LAUTRÉAMONT: Maldoror chega num cemitério de crianças abortadas e se depara com uma parede vermelha. Primeiramente sente um ódio profundo pela vermelhidão da parede, mas após refletir um pouco, percebe que ela é tão cruel quanto ele, e então se apaixona por ela. Logo a sodomiza descontroladamente, para em seguida destruí-la com facadas, pauladas, machadadas e tiros de espingarda. O sangue escorre da parede, que agora é branca, e Maldoror finalmente se dá por satisfeito.

JORGE AMADO: no início da obra, baiano comunista pinta a parede da sala de vermelho, em homenagem ao partido. Mas com o tempo ele vai deixando essa coisa de marxismo de lado, pois percebe que com isso não vai comer ninguém, e passa a encher a casa de mulatas e muito afoxé, agogô, candomblé, maracatu, acarajé, vatapá, samba...
GUIMARÃES ROSA: Olhe dotô, eu lhe digo: era vermelha. Mas assim; como nenhuma outra vermelha nesses grandes Gerais. E ficava na casa de Tião Pexera, seleiro de profissão. Um dia veio, vindos do Velho Chico, uma jagunçada, e pediu hospedagem na casa de Tião Pexera; este-um não pode desaceitar. Traziam uma boiada, roubada, do São Sebastião, onde o carapinhé faz ninhum m riba do rio... E deixaram pra pastar nas terras de Tião. Mas lhe digo: não é mentira. Que quando viram a parede vermelha a jagunaçada toda soube que era ali o sertão enorme. Porque o sinhô sabe: a parede vermelha é em toda parte... é dentro da gente.

JAMES JOYCE: em Dublin ninguém gosta de paredes vermelhas porque as acham pouco irlandesas. Mas Stephen Dedalus um dia se depara com uma parede vermelha, o que gera nele uma série de reflexões psico-artístico-filosófico-existenciais, que se confundem com a voz do narrador do texto.

CLARICE LISPECTOR: parecido com James Joyce, mas a diferença é que ao invés de se passar em Dublin é no Rio de Janeiro, e o personagem principal é uma mulher, que ao ver a parede vermelha começa a pensar na sua condição feminina, meu amor.

NELSON RODRIGUES: João mora no Rio e é um filho da puta. Tem um baita tesão pela sua cunhada Isadora, mulher do seu irmão Pedro. João faz de tudo para seduzir Isadora, que por muito tempo resiste, mas finalmente se rende ao canalha do cunhado. Este a leva para um motel na periferia carioca, e enquanto os dois transam, ela se lembra do marido corno enquanto observa a parede vermelha do quarto do motel.

DOSTOIÉVSKI: um jovem estudante de São Petersburgo comete um assassinato terrível e a culpa o consome. Divide sua terrível angustia entre os passeios pelas ruas labirínticas dos bairros pobres da cidade, e o seu minúsculo quarto de pensão, onde passa horas olhando uma parede vermelha que o tortura com a lembrança do sangue de sua vítima.

depois eu posto mais! novamente, idéias serão bem vindas!

15 comentários:

poli disse...

AHUAHUAHAUHAUHAU
CREPÚSCULO: Essa parede vermelha, claro, foi idéia da minha mãe.. ela achava que eu era muito quietinha quando era criança e resolveu me incentivar, no modo Renée, a ser mais.. eufórica? A essa hora o Edward deve estar chegando, voando pela escuridão verde e úmida da floresta. Com certeza vai adorar a parede vermelha, o que vai me fazer me sentir ainda mais medíocre e comum. Mas até que estou me acostumando com o vermelho, tão inegavelmente dominado aminha vida, me faz sentir um pouco da aventura que vai ser a minha vida depois da transformação. Disso, sem dúvida, o Edward não gostaria de saber que se passa na minha mente qudno olho pra essa parede vermelha. Saber que é por isso que tenho gostado, estranhamente, de ficar perto dela. É por isso que a tenho aturado tão perto de mim, apesar do óbvio contraste ela ela e a minha insignificante e discreta palidez.

César Fernández disse...

caaara, genial! haha

infelizmente não tenho nenhuma idéia dessa vez, preciso ler mais ¬¬

Anônimo disse...

Van Gogh depois de horas observando uma parede vermelha resolveu cortar a orelha e enviar para um puta que também observava uma parede vermelha...

Anônimo disse...

Dalton: Tinta. Parede. Vermelho.

César disse...

Fantástico!
Seus texto me fazem pensar, e os meus me fazem chorar diante disso.
Cesú apenas olhando para a parede vermelha, sem pensamentos...Até que surge um, pq do vermelho? Acho que vou tomar café!kkk

Abração Cara!


César

Flor disse...

Eu AMEI isso. Tô tentando pensar em algo.

Mas antes queria lhe comentar sobre o nome:
Lusca.

Eu tenho um primo que se chama Lucas. Desde pequena sempre o chamo de Lusca. Achei engraçado te ver. Ri.

Beijo grande.

Francisco disse...

Grande Lusca!
A "messiânica busca de fazer rir e chorar", não é fácil, mas uma coisa é certa - seus posts prendem a atenção de quem lê, e fazem a gente reler de tão bom que é.
Talvez você não acredite, mas estou pintando uma parede de vermelho desde ontem. Talvez um dia eu me compare à turma citada.
Um abração!

poli disse...

depois eu penso mais sobra a prede vermelha ahuahauha
mas.. antes quero saber quem é esse distinto senhor com um "cavanhaque" (conjunto de bigode e ante-barba) do frank zappa na página inical do blog? ^^

César Fernández disse...

Ha! Boa! Já tenho a primeira pergunta para a próxima postagem :D
hehe, eu tinha entendido sim ^^

Quem é o tio do retrato no título do blog?

[olha que bonitinho, as letras que apareceram aqui na verificação pra deixar o comentário: "naluna", acho que vou botar esse nome na minha filha]

poli disse...

hauhauhaua acho q vc e o césar que não é o cesú e sim o césar do francês estão se comunicando via blogs, então talvez ele n teja lendo os comentários daqui... mas eu tb queria falar sobre essas letrinhas q aparecem p a pessoa digitar, tem umas q formam nomes bem legais mesmo ^^
a de agora parece nome de cachorro escocês: Modstog
...ou seria cachorro russo?
e quem é o tio da foto? [3]
te amo!

Lusca disse...

Poxa, e eu achando q ficaria fácil pros amantes da grande literatura universal advinhar quem é o cara da foto...
hauahuahuahauhauhauhaua
Vou dar uma dica: ele fez milhares de jovens cometerem suicídio ao criar o primeiro personagem emo da ficção mundial =D

César Fernández disse...

cara, eu sou demais:

o primeiro personagem emo da ficção mundial foi Werther! bastou digitar 'Goethe' no google images que apareceu a fotinha do tio :P

Lusca disse...

Parabéns Cesar, vc ganhará um prêmio!
(só não sei o que ainda XD)

Paulo Bono disse...

Genial. Muito genial.
A do anônimo simulando o Trevisan tb foi muito boa.

parabéns, cara.
abraço

Cleyton disse...

Divino este post.