quinta-feira, 25 de junho de 2009

DIÁRIO DE UM FORRÓBOY CONTROVERTIDO



SEGUNDA:

Hoje eu acordei sem saco nenhum de ir pra faculdade. No café da manhã meu pai me encheu o saco novamente dizendo que eu “não ia ganhar tanto dinheiro com odonto quanto se eu tivesse passado no vestibular pra medicina”. Eu retruquei dizendo que não passei porque tava garantindo meu outro futuro fazendo academia. Ele teve que concordar. Safado! Se soubesse que não passei porque perdi meu tempo escrevendo poesia, comia meu couro...

TERÇA:

Escapei de uma por pouco! Eu tava escutando Chopin no meu i-pod no intervalo da aula quando apareceu Maurício querendo saber o que eu tava fazendo. Só deu tempo de trocar a pasta pra Aviões do Forró, antes que ele tomasse o aparelho da minha mão. “Ah, do caraio”, disse ele, e eu deixei escapar um sorriso tão amarelo quanto a cor do meu new beetle.

QUARTA:

Aconteceu algo semelhante a ontem. Eu tava lendo Schopenhauer, e pra disfarçar, coloquei uma playboy na frente do livro. Nem lembro de quem era. Novamente chegou Maurício, pedindo a revista emprestada porque ia no banheiro. Como eu não tinha como esconder meu livro, tive que improvisar: “ porra nenhuma, tu vai melar minha revista toda!”, e ele nem conseguir pensar numa desculpa. Não sei se fiquei com mais vergonha de mim ou dele.

QUINTA:

Hoje já começou a bebedeira no bar da Kelly depois da aula. Tive que ir. Enquanto jogávamos dominó, eu pensava se o jogo não era somente um paliativo para a infinita dor humana, bem como o álcool, e a arte – se bem que Saia Rodada não parecesse em nada com arte pra mim. Quando me dei conta, eu e minha dupla tínhamos perdido de cruzada. Merda!

SEXTA:

Cheguei com meu new beetle no bar da Kelly e liguei o som no volume mais alto. Paguei umas cervejas pra Patrícia, que começou a falar as merdas dela. Tirei a camisa, porque tava calor e pra seguir o código de conduta do bar: mostrar o resultado da academia. Maurício me chamou pra dançar do lado dele. Cara, odeio essa viadagem! Por outro lado, tinha que escutar a conversa fiada de Patrícia. Fiquei entre a cruz e a espada. Tive que fingir um coma alcoólico pra poder escapar daquilo.

SÁBADO:

Hoje eu levei Patrícia pra um motel pela primeira vez. Nossa, como fala merda, aquela menina! Fiquei escutando ela contar todas as fofocas de todas as outras garotas da turma de odonto, bem como de enfermagem e medicina. Até de ciências biológicas ela sabia: quem deu pra quem, quem falou de quem, quem comprou quem... o que. Porra. Será que o sexo é também um paliativo pra dor humana? Eu sofri mais pra dormir com alguém do que se ficasse sem nada... acho que vou deixar de lado o Schopenhauer.

DOMINGO:

Domingo é dia de ficar em casa! Me tranquei no quarto e assisti uns filmes, li uns livros, e postei um conto no meu blog. Já tem um monte de seguidores... pessoas que se divertem em ver como eu mato violenta e ridiculamente os estudantes de saúde da Federal. Acho que a maioria deve ser de humanas. Será que eu devia mudar a imagem do meu avatar, tirar essa foto do C.F.A. e colocar a minha mesmo? Me revelar ao mundo como sou de verdade?

Nem... nenhum dos dois lados entende.

Patrícia ligou aqui de tarde e eu nem atendi. Amanhã tenho que encontrar com ela e fazer tudo de novo.

Vida de merda.


15 comentários:

Lucas Conrado disse...

Carai... tá osso, né?
hauuhahuauhauha
E eu reclamando que tava perdendo a vida lendo milhares de páginas de economia... talvez não seja tão ruim assim.

Bem, olha o lado bom do seu curso acadêmico, Odontologia dá mais dinheiro que Comunicação Social. Ainda mais quando você quer estudar Jornalismo... (Gilmar Mendes fiadaégua!)

Ah, antes que eu me esqueça, a tirinha no Rabiscos não tava incompleta não. Em cima era o título, não fazia diferença nenhuma. Hoje, por volta das 7 da noite eu posto a continuação.

Paulo Bono disse...

"Cada um com sua guerra", caro Lusca.

grande abraço.

Lusca disse...

hauhauhauhauhaua, só pra deixar claro, eu não faço odontologia não, e essa pessoa nem sou eu XD
é só uma sátira do povo de saúde daqui de PE
eu na verdade faço letras =D

poli disse...

eu já disse que você devia deixar mais claro que seus textos não se referem necessariamente a vc XD HUAHAUAHUAHAUAHUAH
mas é engraçado ver as pessoas achando que é sobre você =D já devem ter achado que vc era gay, alcoolátra, etc. etc. nada contra ser gay mas alcoólatra é fogo ahuahauhauah
aliás, contra ser gay no geral , nada contra, mas VOCÊ ser gay eu tenho algo contra sim, porque senão vc n seria meu namorado hauhauahuahuahuuhuah

opa... agora que me toquei que vão ficar pensando q essa namorada dese cara que faz odonto, que vc escreveu, sou eu!!! XDDDDDD
HAUAHUAHAUHAUAHUA
ó, vida.....

Maris Morgenstern disse...

olááá
a-do-rei seu blog
mto criativo mesmo
adorei a brincadeira de seus textos paracerem biograficos.
acho q vc nao devia contar pra ninguém que nao sao,
é emocionante achar q to lendo o blog de um serial killer. rsrsrsr

Syn disse...

Primeiro eu ri (MUITO), depois eu fiquei assustado pensando que era tu, depois eu li os comentários e só depois eu entendi! Hehehehehe

Abração!

Djaysel Pessoa disse...

Vamos procurar sempre manter esse absurdo como possível... de algum modo a gente acaba se satisfazendo com a loucura de cada personagem daqui... isso é que mais agrada... saber que isso é pura criatividade pra rasgar na cara de tanta gente a vida merda que tantos levam com tanto aparente prazer... uahuahuahuahuaha adorei... muito bom vei...

Daniel Cisneiros disse...

asuhuashuahs
No seu i-pod cabem lado a ldo Chopin e Aviões do forró?
:O:O
^^

Cleyton disse...

Foi massa a defesa, formei! Veja depois as fotos no meu Orkut: Cleyton Cabral. Abração e mais tarde leio teu post. =D

poli disse...

lembrei agora daquele dia que a gente tava na pizzaria e tinha uma mesa ao lado cheia de "maurícios e patrícias", como disse oto...
e quando começaram a cantar parabéns pra um deles, percebemos que o nome do aniversariante era maurício, de verdade!! XD
ahuahauhauhauahuahuaha


luvz

Cleyton disse...

Muito bom! kkkkkkkkk

Marcos Satoru Kawanami disse...

manda a Patrícia calar a boca, e enfia-lhe o nervo. será que nem assim a mulher deixa a vida alheia em paz?

Schopenhauer assassinou o amor, odiava a própria mãe, era um inrustido e revoltado. pára de ler qualquer bosta que venha da escola alemã. os gregos bastam.

Lusca disse...

Eita revolta da porra! hauahauhauh!! XD

César Fernández disse...

era gostosa, pelo menos?


AUHEUAHEUAHEUAHEA

moabi obeid disse...

massa lucas, agora odonto......hahahah
e que vidinha viu.....haah